Suspeito de matar mulher a facadas é preso perto da delegacia de Junqueirópolis

Sandro Alécio Bispo, de 41 anos, foi localizado por volta das 11h desta segunda-feira (3). Crime foi registrado durante a madrugada e a vítima tinha ferimentos no tórax e no rosto


Um homem, de 41 anos, indiciado pela morte da esposa em Junqueirópolis, foi preso por volta das 11h desta segunda-feira (3), em Junqueirópolis. Ele confessou o assassinato a facadas da mulher de 49 anos.


Conforme a Polícia Civil, a corporação já negociava com Sandro Alécio Bispo, de 41 anos, para que ele se entregasse. Ele foi surpreendido em uma rua perto da delegacia.


O indiciado também indicou aos policiais o local onde estavam as facas usadas no feminicídio. Elas estavam dentro de uma sacola, em um terreno baldio, no Centro de Junqueirópolis. A calça usada por ele durante o crime também foi apreendido.


Ele deve ser ouvido ainda na tarde desta segunda-feira (3), mas já confessou o crime.


“Nós identificamos que era um casal que possuía um histórico de discussões e de brigas recorrentes, muito embora esses fatos não fossem formalizados. Não havia registros de ocorrências dessa natureza”, afirmou o delegado responsável pelo caso, Eliandro Renato dos Santos.


Vizinhos também relataram à corporação que o casal estava em processo de separação. Porém, o homem não aceitava o término do relacionamento.
Rita Fagundes Rocha, de 49 anos, foi encontrada morta na casa da família, no Jardim Paulista, em Junqueirópolis, na madrugada desta segunda-feira (3). Ela estava no quarto do casal e tinha ferimentos no tórax e no rosto.


De acordo com a polícia, foi o próprio autor que ligou ao Pronto Atendimento Municipal e avisou que havia uma mulher morta em uma casa.
No imóvel, conforme a Polícia Militar, havia várias marcas de sangue no quintal, sala, cozinha e banheiro.


Na residência estava apenas a vítima. Foi encontrado na sala um bilhete que dizia: “Fiz isso por que me traiu (sic)”.


A polícia relatou que o casal tem dois filhos, de 13 e 8 anos, que foram localizados com parentes. Com o menino mais novo havia um celular do suspeito, que continha uma mensagem enviada por aplicativo de mensagens aos filhos em que ele “confessa ter matado” a esposa, “pedindo perdão aos filhos, já imaginando que será preso”.


A mensagem de áudio foi enviada às 1h47. No aparelho também havia o registro de uma ligação feita ao Pronto Atendimento Municipal, às 2h31, e a polícia afirmou que ele mesmo que avisou sobre o crime.


O carro do indiciado foi localizado com familiares e era onde o filho mais novo estava e o automóvel tinha manchas de sangue.


Uma vizinha relatou aos policiais que na noite de domingo (2), por volta das 23h, ouviu o casal discutindo. O filho mais velho da vítima também contou que presenciou uma discussão entre os pais, e que foi acordado às 2h por seu pai, que disse que tinha que ir trabalhar. Quando estava saindo de casa, o menino notou manchas de sangue no chão da sala.


O bilhete encontrado no imóvel foi recolhido pela perícia. A residência e o veículo também foram periciados.

Deinter – 8