Indústria de roupas suspende atividades e dispensa trabalhadores em Lucélia

Em períodos de franca produção, quadro da empresa tinha mais de 100 funcionários


A crise econômica decorrente da pandemia da Covid-19, que atinge diversos setores da cadeia produtiva em todo o mundo, o que também ocorre na atividade econômica local, levou os dirigentes de uma indústria de roupas masculinas de Lucélia a suspender as atividades por tempo indeterminado e dispensar seus trabalhadores.


Com as restrições que atingem eventos, negócios e demais atividades, o consumo de por trajes masculinos caiu. Sem encomendas e vendas a empresa não produz e não consegue viabilizar um fluxo que garanta sua operação. Para o setor da fabricação de roupas, em todo o país, ainda não há um cenário otimista.


Diante desse quadro, a fábrica de roupas de Lucélia, que operava com cerca de 100 trabalhadores, em média, no período de alta produção, e que estava atualmente com cerca de 70 funcionários, dispensou todo o seu quadro. Nesta segunda-feira (25) os trabalhadores compareceram ao local de trabalho para a formalização das dispensas.


A possibilidade de retomada das atividades, na empresa, ainda existe, porém depende da concretização de novas encomendas e fechamento de novos contratos. Os dirigentes da empresa trabalham nesse sentido, buscando formalizar novas vendas que permitam a reativação da atividade produtiva, mesmo que eventualmente seja com um quadro reduzido.

FÁBRICA DE ROUPAS EM ADAMANTINA TAMBÉM DESLIGOU TODOS OS TRABALHADORES
A situação crítica vivida pela empresa luceliense não é isolada, e todo o setor de fabricação de vestuário atravessa as mesmas dificuldades, em diversas regiões brasileiras.


Situação semelhante, que levou ao fechamento das atividades de produção, ocorreu neste mês em Adamantina. No dia 12 de janeiro uma fábrica de confecções dispensou cerca de 150 trabalhadores. Eles estavam de férias e retornariam naquele dia às atividades, quando receberam o comunicado de rescisão do contrato de trabalho.


Na ocasião, foi ouvido o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Vestuário de Presidente Prudente e Região, José Carlos da Silva.
Segundo o representante sindical, o centro da demissão dos trabalhadores é a crise econômica decorrente da pandemia da Covid-19, que atinge praticamente todo os setores da economia, com grande impacto no setor de vestuário, no Brasil e no mundo.


A situação de dificuldade, vivida ao longo de todo o ano de 2020, foi agravada ainda mais pelo fim do programa de redução de jornada e suspensão de contratos de trabalho, disponibilizado pelo Governo Federal, encerrado em dezembro último.


Na ocasião, o representante sindical sinalizou haver outras empresas, do segmento, na região, que vivenciam um período de grandes dificuldades. O encerramento da produção, na empresa de Lucélia, confirmou a projeção.

Fonte – Aqui Lucélia